Você Está Aqui: Home » Posts tagged "Seca"

Projetos do Ministério da Integração Nacional para convivência com a seca superam R$ 30 bilhões nos últimos seis anos

Ações vão desde obras hídricas estruturantes, instalação de cisternas, construção de adutoras de engate rápido até abastecimento imediato com a Operação Carro-Pipa. O Ministério da Integração Nacional desenvolve ações e projetos que somam mais de R$ 30 bilhões para mitigar os efeitos da seca severa, que dura cerca de seis anos no semiárido brasileiro e já está afetando até estados de outras regiões do País. O foco dos projetos do MI visam garantir abastecimento de água, melhorar a oferta de água – em quantidade e em qualidade –, amenizar as perdas econômicas dos agricultores e revitalizar as bacias dos rios, principalmente do São Francisco. Para isso, desde 2011 o Ministério atua em diversas frentes, não apenas com medidas emergenciais como a Operação Carro-Pipa, como também na construção de obras estruturantes para regularizar a oferta hídrica, na instalação de cisternas e na concessão de linhas especiais de crédito aos produtores que tiveram suas safras prejudicadas. O Projeto de Integração do Rio São Francisco, por exemplo, é a mais importante obra de abastecimento hídrico do país. Com 477 quilômetros de extensão, distribuídos nos eixos Norte e Leste, levará água a mais de 12 milhões de pessoas, em 390 municípios do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Desde o início da obra, foram investidos mais de R$ 8,4 bilhões, sendo que R$ 6,3 bilhões foram repassados no período 2011-2016. Na reta final, o projeto apresenta 90,5% de execução. O Eixo Leste será entregue até o final deste ano, enquanto o Norte será concluído em 2017. Mais R$ 4,9 bilhões foram destinados à construção de outras obras hídricas, como adutoras, barragens e reservatórios. Muitas delas já entregues e abastecendo comunidades, enquanto outras estão em execução. Entre elas estão o Sistema Adutor do Agreste Pernambucano (PE), o Canal do Sertão Alagoano (AL), o Cinturão das Águas (CE) e o Sistema Adutor das Vertentes Litorâneas (PB). A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco ...

Leia Mais

Moradores do Sertão e do Agreste vivem em guerra por água

Sem alvoroço, os baldes vão sendo enfileirados. Um atrás do outro num silêncio tão incômodo quanto enganador. Confusão já houve muita. Ainda há. Já teve caso de ser preciso chamar a polícia para apartar a briga. Mas no começo daquela manhã de quarta-feira, a fila está comportada. As pessoas mal se falam. Vão chegando e esperando. Encostam suas vasilhas numa coreografia quase robotizada. É hora da humilhação de todo dia. De tentar juntar um resto de dignidade no balde vazio. Dessa vez, a caixa-d’água instalada na Rua Paulino Soares, em Itapetim, no Sertão do Estado, foi premiada. O moço do carro-pipa resolveu encher o reservatório todo. Coisa rara. Geralmente, abastecem só até a metade e vão embora. Talvez, por isso, o silêncio enganador. Naquele dia, de breve fartura, os baldes aguardavam pacientemente a sua vez. Na Avenida Antônio Paes de Lira, no Alto da Boa Vista, município de Pedra, num Agreste tão seco e esturricado quanto o Sertão, não há calmaria. Nem aparente. Baldes nervosos, desesperados até, disputam instantes preciosos embaixo da torneira. Naquela manhã, completavam nove dias que a caixa-d’água instalada no meio da rua estava vazia. Nem uma gota d’água. No dia anterior, a dona de casa Silene Clemente da Silva, 39 anos, havia gasto os únicos R$ 40 que tinha para comprar água para os quatro filhos. Deixou vazio o botijão de gás para matar a sede. “Agora vou fazer o que para cozinhar?”, perguntava-se, entre uma e outra lata d’água na cabeça. Silene vive num regime de exceção. São mais de 100 mil pernambucanos que, iguais a ela, tiveram confiscado o direito a água encanada, pingando da torneira. Num Estado devastado pela seca, o Jornal do Commercio percorreu as oito cidades do Agreste e do Sertão que hoje dependem, exclusivamente, do carro-pipa para garantir a sobrevivência diária. No carimbo oficial, são os chamados “municípios em colapso”. Na vida real, uma nação em guerra por água.   Após três anos de estiagem, não é mais a vaca morta na estrada que ...

Leia Mais

Bacia Leiteira ainda é castigada pela seca

Quase três anos depois da pior estiagem dos últimos 40 anos, a bacia leiteira do Estado ainda sente seus efeitos. As chuvas que chegam às regiões não são suficientes para elevar a capacidade hídrica dos reservatórios e nem para recuperar o plantio da palma - alimento do gado que foi praticamente destruído pela praga conchonilha. Essas dificuldades vêm impedindo que os produtores expandam seus rebanhos, localizados em áreas do Sertão e do Agreste pernambucano, e, assim, elevem sua capacidade produtiva de leite. De acordo com a gerente geral da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), Erivânia Camelo, essa realidade é sentida nos números. Em novembro de 2011, havia 2,5 milhões de gados de leite no Estado. Dois anos depois, esse quantitativo caiu para 1,8 milhão e, praticamente, se manteve até os dias atuais. Hoje, segundo o órgão, detemos de 1,9 milhão de animais produtores. “O número praticamente se manteve após a grande seca. Sem mudanças expressivas”, lamentou. O fator “queda na taxa de natalidade” também é um impasse para a reprodução célere desses animais. No sertão, por exemplo, para cada 100 vacas em idade de reprodução, apenas 25 chegam a dar a luz. Lá, 310 mil vacas estão em idade de reprodução e 71 em estado de lactação. No Agreste, a situação é mais otimista, já que a presença dos animais é maior, com 484 mil em período de reprodução e 190 em lactação. Ou seja, para cada 100 vacas na fase de procriação, 39 estão parindo suas crias. O cenário de retração, contudo, afeta a atual produção de leite do Estado, que hoje apresenta pouca diferença se comparado à época de seca. Naquela ocasião, o Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Estado de Pernambuco (Sindileite) informou estar produzindo apenas 45% da média, ou seja, menos de um milhão de litros de leite por dia, quando em 2011 a produção era 2,2 milhões de litros diariamente. Em 2014, a produção registrada foi na casa de 1,6 milhão e de 1,8 milhão de leite ...

Leia Mais

Operação Seca – Secretário Ranilson Ramos apresenta os avanços das obras de construção de cisternas no MDS‏

O secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, reuniu-se, ontem pela manhã (17/04), com a ministra doDesenvolvimento Social e Combate à Fome(MDS), Trereza Campello, e o secretário nacional de Segurança Alimentar, Arnoldo Campos, para avaliar o andamento da execução dos programas de cisternas de primeira e segunda água no Estado. Ranilson Ramos, que tomou assento à mesa,representando todos os estados parceiros do (MDS), destacou a dinâmica das obras dos projetos, sobretudo em Pernambuco, cujo convênio de cisternas de primeira água que prevê a construção de 31 mil unidades, já realizou a entrega de 18 mil. Já no que se refere às cisternas de segunda água, das 15,5 mil previstas em convênio assinado, no ano passado, 1,5 mil já foram concluídas,beneficiando 46,5 mil famílias no total, com investimentos da ordem de R$ 152 milhões. Por fim, o secretário lembrou a necessidade de que o programa seja contemplado em dois momentos: a promoção da gestão das cisternas e a universalização do acesso e uso de cisternas, questão que já vem sendo discutida entre o governado Eduardo Campos e o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, uma vez que é um compromisso do Governo do Estado a universalização do uso das cisternas no meio rural até dezembro de 2014. O programa em Pernambuco está sob a responsabilidade do secretário executivo da Agricultura Familiar, Aldo Santos. ...

Leia Mais

Prefeitos nordestinos pedem urgência na ajuda para o combate à seca‏

Prefeitos do Nordeste se mobilizaram para pedir ações imediatas e sem burocracia em prol das vítimas da seca na região. Representantes de sete Estados – Bahia, Pernambuco, Paraíba, Piauí, Sergipe, Alagoas e Rio Grande do Norte – se reuniram na tarde desta quarta-feira, 20 de março, com o ministro da Integração, Fernando Bezerra. A ele foi entregue uma pauta com os pedidos de ações urgentes e estruturais. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) acompanhou durante a manhã a reunião preliminar onde os gestores apresentaram as dificuldades e, após depoimentos, formularam uma pauta única de reivindicações. Os pedidos entregues ao governo federal são: a destinação de recursos por meio de um cartão onde o prefeito possa contratar serviços urgentes; verba para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) modalidade SECA; prorrogação de programas como Garantia-Safra e Bolsa Estiagem; renegociação das dívidas municipais e a instalação de um gabinete para orientação durante crises. A resposta do governo O primeiro a falar na reunião com o ministro foi o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota. Ele também foi o coordenador do grupo. “A expectativa é que o governo tenha maior agilidade nas respostas a este quadro drástico em que se encontram os Municípios do Nordeste”, explicou. Fernando Bezerra apresentou o balanço das medidas adotadas pelo governo até o momento. Também adiantou que as previsões climáticas não são favoráveis e que a chuva necessária para acabar com o problema não deve chegar tão cedo. Segundo o ministro, ainda esta noite os Ministérios da Integração, do Planejamento e da Fazenda se reunirão para apresentar uma proposta à presidente Dilma Rousseff. E ela deve anunciar ainda nesta semana ou na próxima as ações para ajudar os Municípios. “Foi bom vocês terem trazido a proposta pronta”, agradeceu. Dinheiro direto para o Município O ministro Bezerra parece ter apoiado a proposta do cartão para emergências. “É mais ágil porque ...

Leia Mais

Ministro Fernando Bezerra anuncia hoje verba para o Interior

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (PSB), deverá oficializar, hoje, os valores e as primeiras cidades do Interior de Pernambuco a receberem recursos federais para o combate à seca. A expectativa é que o pacote emergencial varie entre R$ 400 mil a R$ 1,1 milhão, a depender do porte de cada município. O anúncio deverá ocorrer à tarde, no gabinete do socialista, em Brasília, local onde Bezerra Coelho se reunirá com representantes das associações municipalistas do Nordeste e Norte de Minas Gerais. O encontro pode ter a presença da presidente da República, Dilma Rousseff. Os recursos serão repassados por meio do Cartão Defesa Civil, uma espécie de cartão corporativo, que foi apresentado como alternativa emergencial de combate a seca pelo ministro na última segunda-feira, durante reunião com representantes da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), no Recife. Para obter o repasse, as cidades atingidas terão que criar um plano de ação e terem uma Comissão de Defesa Civil, organismo que ficará encarregado de administrar os recursos e destiná-los para a construção de poços, contratação de carros-pipa, aquisição de forragens para o gado e limpeza de barragens. Além da destinação dos recursos, durante a reunião, que ocorrerá as 15h, Fernando Bezerra Coelho deverá discutir mais a fundo a problemática com alguns ministros de pastas associadas a estiagem, considerada pelos gestores municipais de Pernambuco como a pior dos últimos anos. De acordo com a asses­soria de Imprensa da Amupe, antes da reunião com o ministro, mais cedo, às 10h, haverá um encontro entre os representantes das associações municipalistas num hotel da Capital Federal. Proposta pelo presidente da Amupe, Jo­sé Patriota, a reunião servirá para apresentar e validar as propostas que foram colocadas pelos prefeitos de Pernam­buco, além de ouvir os demais estados do Nordeste. ...

Leia Mais

Seca causa morte de rebanho e derruba em 70% a produção de leite em Pernambuco

A seca que atinge Pernambuco está afetando gravemente a produção de leite no estado. Dados da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) apontam para uma redução de quase 70% na produção da bacia leiteira, formada por 14 municípios, com prejuízo mensal estimado em R$ 36 milhões. Antes da estiagem, o Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Estado de Pernambuco (Sindileite) contabilizava a produção de 2,3 milhões de litros por dia e, agora, 830 mil litros são produzidos diariamente. A queda afeta consumidores, que sentem a alta dos preços dos derivados que chegam às prateleiras, e principalmente os criadores, que presenciam a morte do rebanho com a falta de chuvas no interior pernambucano – o Sindileite aponta a morte de mais de 200 mil animais e o abate precoce de outros 528 mil. Dados de março da Secretaria da Casa Militar de Pernambuco apontam que 1,3 milhão de pessoas estão sofrendo com a estiagem no estado. Dos 158 municípios pernambucanos, 132 decretaram estado de emergência - dos quais 126 tiveram essa condição reconhecida pelo Ministério da Integração Nacional. "Estamos diante de algo extraordinário. Talvez seja a seca mais severa dos últimos 60 anos, em algumas regiões do Nordeste", comentou o ministro Fernando Bezerra Coelho, em reunião com prefeitos de 50 cidades pernambucanas, esta semana, no Recife. Através do VC no G1, o internauta Márcio Alves dos Santos enviou fotos da difícil situação sofrida por seus pais, moradores da Zona Rural de Itaíba, município que fica no Agreste de Pernambuco. Considerada a maior produtora de leite de Pernambuco e a 16ª do Brasil, com produção 75,7 milhões de litros por ano antes da estiagem, Itaíba vive o castigo da seca: hoje, o rebanho da cidade produz 45 mil litros por dia, contra 175 mil litros diários obtidos antes da falta de chuvas, segundo o Sindileite. Márcio dos Santos conta que o gado está morrendo porque a família não tem mais condições de comprar comida para alime ...

Leia Mais

Ranilson Ramos anuncia série de ações emergenciais no primeiro dia das atividades itinerantes em Buíque, Pedra e Venturosa

O secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, anunciou, ontem (07/03), durante o primeiro dia das atividades itinerantes, deliberadas na última reunião do Comitê Integrado de Convivência com o Semiárido, uma série de ações nas áreas de infraestrutura hídrica e de assistência à população e ao rebanho. Até amanhã, ele irá visitar nove municípios do Agreste Meridional. Acompanham a agenda, o secretário executivo da Agricultura Familiar, Aldo Santos, o presidente do IPA, Júlio Zoé, e a gerente geral da Adagro, Erivânia Camelo. Em Arcoverde, o secretário conheceu uma estrutura de produção de silagem localizada na fazenda Bom Jesus, de propriedade do pecuarista Rolderick Brito (foto - abaixo). No local, acompanhado do deputado estadual Júlio Cavalcanti (PTB), dos representantes de sindicatos e produtores de leite de Venturosa, Bom Conselho, Pedra e Garanhuns, determinou a compra, pelo Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), de quatro ensiladeiras que trituram a cana, permitindo que o volume transportado por cada caminhão possa ser triplicado. As máquinas ficarão fixas nas frentes de corte de cana-de-açúcar, na Mata Sul do Estado, e permitirão maior velocidade ao carregamento dos caminhões que fazem o transporte para o Agreste. “Com os novos equipamentos, teremos um ganho substancial no volume da cana carregada, diariamente, para os principais polos da bacia leiteira pernambucana", destacou o secretário. Ainda na unidade de produção, em Arcoverde, Ranilson Ramos solicitou que sejam realizados, pelo IPA, estudos da qualidade da silagem produzida com a tecnologia utilizada na fazenda Bom Jesus. A partir dos resultados, ele pretende implantar polos de distribuição em outros municípios que integram a bacia leiteira do Estado utilizando a mesma tecnologia. Buíque - Acompanhado pela vice-prefeita, Miriam Briano, e por representantes de associações e sindicatos rurais, o secretário autorizou a perfuração de poços artesianos e solicitou a indicação de duas local ...

Leia Mais

Governo intensifica ações em São Bento do Una

O secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, autorizou, na tarde de ontem (04/03), durante reunião realizada com a prefeita de São Bento do Una, Débora Almeida, 13 vereadores e representantes do Conselho Municipal de Desenvolvimento e sindicatos rurais, um conjunto de ações emergenciais de assistência à população e ao rebanho local. Entre as principais medidas estão a perfuração de dez poços, sendo cinco por meio de convênio, a instalação de quatro dessalinizadores e a construção de sete sistemas simplificados de abastecimento d’água, dois por execução direta e outros cinco por convênio com a prefeitura. O secretário solicitou, também, o mapeamento dos poços já perfurados para instalação imediata. Para o rebanho, o município, que já foi um dos maiores do Estado em número de bovinos, suínos e aves, Ranilson Ramos autorizou, já a partir de hoje (05/03), a contratação, pelo Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), de um caminhão diário de cana-de-açúcar para abastecer os pequenos criadores sem custos com frete. A cana será levada de Serro Azul até o município, onde os pecuaristas se responsabilizarão pela distribuição. Ficou acertado, ainda, o deslocamento de uma retroescavadeira e de uma pá-mecânica para o desassoreamento de pequenos açudes e barragens, o que vai assegurar a melhoria da capacidade de armazenagem após o ciclo de estiagem. Por fim, o secretário se prontificou a visitar a comunidade quilombola de Serrote do Cabo Brabo, na próxima sexta-feira, durante as atividades itinerantes que serão realizadas em diversos municípios do Agreste e Sertão, todas as semanas, a partir da próxima quinta-feira (07/03), nos meses de março e abril. As reivindicações das lideranças de São Bento do Una foram atendidas de imediato pelo secretário, logo após a realização da XXXIII Reunião do Comitê Integrado de Convivência com o Semiárido, realizada, na sede do IPA, no Recife. ...

Leia Mais

Operação Seca – Ranilson Ramos visita área de cana-de-açúcar em Cerro Azul‏

Na tarde de hoje (26/02), o secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, esteve, em Cerro Azul, na Mata Sul, onde visitou áreas de cana-de-açúcar, que atendem aos pecuaristas da bacia leiteira do Estado, beneficiando 66 municípios do Agreste, onde estão concentradas 80% da produção leiteira. Ele conversou com caminhoneiros, cortadores de cana e criadores dos municípios de Pesqueira, Alagoinha e Bom Conselho, que na ocasião carregavam seus caminhões. Após ouvir algumas reivindicações desses criadores, o secretário foi receptivo às sugestões e anunciou providências imediatas para melhorar a estrutura de corte, transporte e distribuição da cana. Ranilson disse que, atualmente, estão sendo carregados, em média, 50 caminhões por dia e que para os próximos 60 dias a meta é carregar 120 caminhões, o que representa 1.000 toneladas de cana por dia, quantidade necessária para dar suporte, à criação, até o retorno das chuvas. “Para atingir essa meta serão abertas três frentes de corte, cada uma, destinada ao carregamento de 40 caminhões por dia”, disse Ranilson. Outra medida será a locação de máquinas para corte e carregamento. Esta última foi uma das mais reivindicadas pelos criadores. ...

Leia Mais

Ranilson Ramos apresenta ações da Operação Seca em encontro do governador com prefeitos‏

O secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, apresenta neste momento, durante o Encontro Juntos por Pernambuco, realizado em Gravatá, Agreste Central, palestra sobre as ações adotadas pelo Estado dentro do Comitê Integrado de Convivência com o Semiárido. Além da assistência direta à população rural, com a distribuição de água por meio de carros-pipa rastreados via satélite, e a distribuição de filtros de barro e caixas d’água, ele detalhou para os prefeitos presentes, os programas“Venda Milho Balcão”, “Água para Todos”, “Irrigação para Todos”, “Pernambuco Mais Produtivo”, “Assistência ao Rebanho”, Por fim, Ranilson apresentou os investimentos e o número de famílias assistidas pelos programas sociais, a exemplo do Bolsa Estiagem, Garantia safra e Chapéu de Palha Estiagem. ...

Leia Mais

Arcoverde: Agricultura anuncia várias ações para combater e conviver com a seca‏

Paralelo às comemorações de um dos melhores carnavais da história de Arcoverde, a prefeita Madalena Britto (PTB), conseguiu garantir várias ações para atender a zona rural do município, garantindo o combate imediato aos efeitos da seca e o convívio com a estiagem.  De acordo com o Secretário de Governo, Carlos Fernando, a prefeitura já disponibilizou para a Secretaria de Agricultura três (3) caminhões-pipa para levar água às comunidades rurais de Arcoverde. Eles vêm se somar aos pipas já administrados pelo Exército (7). Por outro lado, a prefeitura já deu início ao trabalho de limpeza e ampliação do açude de Aldeia Velha, que deverá cerca de 2 metros de paredão. Ao todo, serão 300 horas máquinas que além do açude vão também atender as outras localidades com a limpeza de barreiros e pequenas barragens. A outra grande notícia nesta área foi anunciada pela prefeita Madalena Britto. Trata-se de um convênio que está sendo formalizado com a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco – CODEVASF e que vai garantir a instalação de 695 cisternas com capacidade para 16 mil litros de água, cada uma. Elas fazem do Programa Água para Todos, do Governo Federal. ...

Leia Mais

Municípios afetados pela seca em Pernambuco, Sanharó e Pesqueira recebem 300 cestas básicas

Já faz um ano que mais de mil famílias da zona rural de Sanharó, no Agreste Central de Pernambuco, não sabem o que é ter água nos açudes. Tanto tempo que muitos nem lembram mais o gosto do leite e do queijo, símbolos da pecuária no município. Sem o sustento e os recursos da criação das vacas, alguns entram em depressão. Outros sequer têm o que comer. Para aliviar a precariedade desses pequenos trabalhadores rurais, duas voluntárias, Silvana Cordeiro da Silva e Janeide Batista Aquino, percorreram os 210 quilômetros entre Sanharó e Recife nesta terça-feira (29) para buscar 300 cestas básicas arrecadadas pelo Comitê da Ação Cidadania Pernambuco Solidário. O município vai receber 180 cestas, enquanto o vizinho Pesqueira ganhará 120. Silvana representa a Pastoral da Criança, enquanto Janeide, várias associações do município ESPECIAL » Cisternas da discórdia "O que mais se vê no caminho é cabeça de gado pela estrada. E os donos se perdendo junto com os animais", relata Janeide. Sanharó é um dos 131 municípios em situação de emergência em Pernambuco devido à estiagem prolongada, de acordo com a Coordenadoria de Defesa Civil do Estado (Codecipe), com aproximadamente 22 mil pessoas afetadas. Veja no mapa abaixo quais são as outras cidades: Ilustração: Bruno de Carvalho/NE10 Apesar de a doação ser de cerca de três toneladas de alimentos, de acordo com as voluntárias, a comida dever ser suficiente para menos de uma semana em muitas famílias. "Infelizmente, a quantidade de pessoas nas casas é alto, o que faz as cestas durarem pouco", lamenta Janeide. "Mas isso já é uma alegria enorme para eles. Até uma gota de água é muito para quem não tem nada", completa. Sem registrar chuvas suficientes para encher reservatórios, cisternas e açudes, o drama para conseguir água potável para beber continua. "O problema maior é na zona rural, onde as pessoas dependem da agricultura ou da pecuária até para comer e com muitas famílias em lugares tão longínquos que são inacessíveis de carro", afir ...

Leia Mais

© 2016. Jornal Portal do Sertão. Todos os direitos reservados

ARTEAVANTE
Scroll to top